segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

CMM e SPM discutem os desafios de 2012


O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMM) esteve presente no início da  tarde desta segunda (05/12) na Superintendência de Políticas para Mulheres (SPM)em Salvador para reforçar a parceria com a nova gestora da pasta, Drª Ana Angélica, que assumiu o cargo há 2 meses. 

A presidente do CMM reafirmou a necessidade da execução imediata do Plano Municipal de Políticas Públicas para Mulheres e dos desafios de administrar um órgão municipal sem recursos  públicos. Na ocasião, a superintendente também deixou claro a importância de ter o CMM como aliado nos trabalhos a serem executados nas comunidades.

CMM comemora 26 anos em Salvador


O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher (CMM)comemorou na manhã desta segunda (05/12),no Ed. Oxumaré (Ladeira de São Bento),seus 26 anos de existência em prol da Igualdade de Direitos da Mulher em Salvador.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Seminário Saúde Integral das Mulheres Negras



 O tecido social nacional e o viés racial nas desigualdades socioeconômicas

A elaboração de estratégias para melhoria da qualidade de vida e de saúde depende da compreensão das fragmentações derivadas dos fenômenos socioculturais, políticos e econômicos, seja no nível pessoal, coletivo, regional ou mundial.
O mundo atual nega liberdades elementares a um grande número de pessoas. Por vezes, a ausência de liberdades substantivas relaciona-se diretamente com a pobreza  econômica, em alguns casos vincula-se à carência de serviços públicos e assistência social e, em outros, a violação da liberdade resulta diretamente de uma negação de  liberdades políticas e civis.
No Brasil, o grau de pobreza é mais elevado do que o encontrado em outros  países com renda per capita similar. Embora cerca de 64% dos países tenham renda inferior à brasileira, aqui o grau de desigualdades é um dos mais elevados do mundo (Barros e col., 2000).
A pobreza no Brasil tem raça/cor, sexo e etnia. Esta afirmação, interpretada por alguns como esquizofrênica, está pautada em números tão cruéis quanto seu reflexo nos corpos e nas mentes de negros e negras, índios e índias.
De acordo com os dados analisados por Jaccoud e Beghnin (2002), em 1992,  40,7% da população brasileira era considerada pobre; em 2001, esse percentual cai para 33,6%. Nesse período, a proporção de negros pobres equivalia a duas vezes a proporção observada na população branca - 55,3% versus 28,9% em 1992 e 46,8% versus 22,4% em 2001. Nesse ano, homens e mulheres apresentaram-se distribuídos de forma semelhante entre os pobres – cerca de 1/3 da população. Ao incluir a variável raça/cor na análise dos dados, entretanto, observou-se que esta situação era vivida por quase metade das mulheres negras contra apenas 22,4% das mulheres brancas. Na
indigência, a proporção de mulheres e homens negros foi cerca de 28% em 1992 e  22% em 2001, contudo este percentual foi 2,3 vezes maior quando comparado àquele apresentado para mulheres e homens brancos em 1992 e 2,6 vezes maior em 2001.
Segundo Milton Santos (2000), os pobres não estão apenas desprovidos de recursos  financeiros para consumir, a eles é oferecida uma cidadania abstrata; que não cabe em qualquer tempo e lugar e que, na maioria das vezes, não pode ser sequer reclamada.
Por mais que se deseje negar, essa cidadania não consistente e não reivindicável, vem sendo oferecida ao longo dos tempos, prioritariamente aos negros e negras, índios e índias.
As vias pelas quais o social e o econômico, o político e o cultural influem sobre a saúde de uma população são múltiplas e diferenciadas, segundo a natureza das condições  socioeconômicas, o tipo de população, as noções de saúde, doença e os agravos enfrentados. No caso da população negra, o meio ambiente que exclui e nega o direito natural de pertencimento, determina condições especiais de vulnerabilidade.  Além da inserção social desqualificada, desvalorizada (vulnerabilidade social) e da invisibilidade de suas necessidades reais nas ações e programas de assistência, promoção de saúde e prevenção de doenças (vulnerabilidade programática), mulheres e homens negros vivem em um constante estado defensivo. Essa necessidade  infindável de integrar-se e, ao mesmo tempo, proteger-se dos efeitos adversos da integração, pode provocar comportamentos  inadequados, doenças psíquicas, psicossociais e físicas (vulnerabilidade individual).
No campo da saúde, o conceito de vulnerabilidade emergiu no início da década de 1990 entre aqueles que, na intersecção de vários campos do saber, buscavam estratégias para o enfrentamento da aids. Embora seja um recurso teórico aperfeiçoado no campo de estudos e pesquisas em aids, o conceito de vulnerabilidade não lhe é restrito.Se pretendêssemos apresentar o conceito de forma sintética, definiríamos por vulnerabilidade o “conjunto de aspectos individuais e coletivos relacionados ao grau e modo de exposição a uma dada situação e, de modo indissociável, ao maior ou menor acesso a recursos adequados para se proteger das conseqüências indesejáveis daquela situação”.
A princípio, qualquer pessoa poderia qualificar sua situação frente às formas conhecidas de exposição aos fatores físicos, químicos, biológicos e ambientais que, por ventura, podem desencadear doenças ou agravos. Para as coletividades, todavia, as situações sociais e programáticas extrapolam, muitas vezes, o limite da percepção e da possibilidade de transformação de cada pessoa isoladamente (Ayres e col., 1999). 

 Fonte: Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Saúde da população negra no Brasil: contribuições para a
promoção da eqüidade / Fundação Nacional de Saúde. - Brasília: Funasa, 2005. 446 p.: il.

Seminário Saúde Integral das Mulheres Negras

As inscrições devem ser feitas através do e-mail:geari.spm@gmail.com ou pelos tels: (71) 2108-7313/ 7305/ 7311 ou pelo fax: (71) 2108-7306 até o dia 28/11/11.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Cmm articula "Sessão Especial de Jardim das Folhas Sagradas - Povo de Santo"

 
O Grupo Humanas, Cine Cena Unijorge e os Professores Ricardo Carvalho e Diana Costa realiza Sessão Especial do filme "Jardim das Folhas Sagradas para o Povo de Santo".Tendo o apoio carinhoso do Diretor Pola Ribeiro , que já confirmou sua presença, também iremos articular a presença de alguns atores do filme.A sessão está prevista para acontecer no Novembro Negro.Grupo Humanas é isso... Arte, Educação e Cultura!!! 
As jornalistas Patrícia Bernardes (conselheira/secretária geral do Cmm) e Luciane Reis (Instituto Mídia Étnica) também fazem parte da articulação para trazer as matrizes africanas para a pauta da Igualdade de Direitos em Salvador.

Em breve divulgaremos data e horário.
Evento GRATUITO!!!!

Cmm apoia Novembro Negro em Salvador

Cmm apoia o " Projeto Bairro Leitor"

 
O CMM marcou presença na edição do Projeto Bairro Leitor (Engenho Velho de Brotas) (29/10) através da sua Conselheira/Secretária Geral - Patrícia Bernardes( Bernardes Comunicação Ssa) .Marcaram presença também a historiadora e membro do FNMN/BA Diana Costa e Uiara Lopes (UNEGRO).
 

Ìgbà Ábídi Seminário Afro-Brasileiro


No próximo dia 13 de novembro, a Serra da Barriga, em União dos Palmares, receberá as cinzas de Abdias Nascimento, ex-senador, ex-deputado federal, intelectual, artista e presidente do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro-Brasileiros (Ipeafro), falecido em maio deste ano, no Rio de Janeiro, aos 97 anos.A programação do dia 13 de novembro terá início às 8h do dia 13 de novembro, com a saída para o alto da Serra da Barriga, em União dos Palmares; às 9h, abertura oficial e cerimônia com a participação da esposa Elisa Larkin e família e com representantes do Instituto de Pesquisas e Estudos Afro Brasileiros (Ipeafro).Entre as instituições que apoiam as homenagens a Abdias Nascimento, estão os Ministérios da Educação e da Igualdade Social, Secretaria de Estado da Mulher, da Cidadania e dos Direitos Humanos, de Articulação Política, Polícias Militar e Civil, Federação das Indústrias de Alagoas e Fundação Cultural Palmares.
Mas, se apresse, pois as vagas são limitadas.

Serviço:

Dia 12 de novembro: Ìgbà Ábídi Seminário Afro-Brasileiro: “Celebração da Obra e
“Vida de Abdias Nascimento”
Local: Faculdade Integrada Tiradentes
Horário: 08 às 18 horas
Certificação: 10 horas
Dia 13 de novembro:
Cerimônia de Deposição das Cinzas de Abdias Nascimento no Alto da Serra da Barriga
Horário: 09 às 15 h
Local: Lagoa dos Negros, Serra da Barriga, AL
Para inscrever-se basta enviar um e-mail para celebrandoabdias@gmail.com
Mais informações: (82)8827-3656/3231-4201

Wanda Chase visita o Cmm em Salvador

 
O Cmm Em Salvador agradece a visita da jornalista Wanda Chase (Rede Bahia) na tarde desta quarta-feira em nossa sede no Ed.Oxumaré (Ladeira de São Bento). Nós conselheiras esperamos atentamente pela divulgação da matéria a fim de apoiar a nossa causa voluntária diária que é a DEFESA DOS DIREITOS POLÍTICOS DA MULHER na cidade!Atentamos também para as intalações precárias nas quais trabalhamos há 24 anos. O nosso espaço físico não é digno de receber nenhuma de nossas mulheres para reuniões diárias. A matéria  vai ao ar neste domingo (13/11/11) após o Programa Fantástico e abordará a violência sofrida pela Conselheira (Suplente) Norma (camêlo por profissão) e todas as ações afirmativas da Cmm Em Salvador no Combate a Violência contra a Mulher. 
Axé de Luta!Parabéns Companheiras

3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres

As pessoas interessadas em participar da 3ª Conferência Estadual de Políticas para Mulheres de 12 a 14/11/2011 no  Centro de Convenções da Bahia, especificamente aquelas não eleitas como delegadas, também poderão integrar o evento. A organização informa que, no entanto, elas não terão direito a voto nas deliberações. As mesmas devem comparecer ao local do evento, dirigindo-se à mesa de credenciamento, a partir das 8h do primeiro dia. As discussões prometem ser acaloradas, por meio de palestras e debates em seis eixos temáticos. A Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM) é uma das organizações previstas para as mesas do evento. Cerca de 1,2 mil mulheres de várias regiões da Bahia estão sendo aguardadas na atividade, que deve construir propostas concretas para o III Plano Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres.
 
Secretaria de Politicas para as Mulheres
Av. Tancredo Neves, 776 – Caminho das Árvores. CEP: 41820-020 telefone: 71-3117-2815 e-mail: spmbahia@gmail.com
Salvador – Bahia

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Iniciadas as "Conferências Territoriais dos Direitos da Mulher" na Bahia

 
As Conferências Territoriais dos Direitos da Mulher começam neste final de semana.Nos dias 8 e 9, será realizada em Juazeiro; nos dias 11 e 12, acontece a conferência de Itaparica e Nordeste II; nos dias 13 e 14, acontece em Camaçari e Jequié; 14 e 15, em Governador Mangabeira; e nos dias 20 e 21, em Seabra, na Chapada Diamantina.


Seminário discute "Defensoria Pública e População em Situação de Rua"


A Defensoria Pública do Estado da Bahia, por meio da Defensora Pública Geral, em parceria com a Secretaria de Reforma do Judiciário, tem a honra de convidá-lo(a) para participar do Seminário: Defensoria Pública e População em Situação de Rua, a realizar-se nos dias 17 e 18 de outubro do corrente ano, no Espaço Versátil, Ondina Apart Hotel, na Av. Oceânica, 2.400, Ondina, Salvador - Bahia.
Esse evento dará continuidade aos trabalhos iniciados no Seminário Nacional sobre Direitos e Garantias da População em Situação de Rua, realizado em novembro de 2010, em Brasília, que levou, inclusive, à organização de dois seminários estaduais sobre atendimento jurídico para a população em situação de rua: pelas Defensorias Públicas de São Paulo e do Rio de Janeiro, no primeiro semestre de 2011.
A referida atividade pretende contribuir não só para a capacitação de Defensores Públicos sobre o tema, mas, principalmente, para a articulação entre os diversos setores governamentais e da sociedade civil envolvidos na efetivação dos direitos da população em situação de rua.
Serão debatidas questões como o perfil sócio-demográfico desse segmento, políticas públicas garantidoras da dignidade da pessoa humana voltadas para esses cidadãos, como saúde e assistência social, e o papel da Defensoria Pública nesse contexto.

* As inscrições são limitadas e serão realizadas de 19/09/2011 à 12/10/2011, através do e-mail inscricoes@defensoria.ba.gov.br. Maiores esclarecimentos poderão ser fornecidos pela Escola Superior da Defensoria Pública pelo telefone (71) 3117-0201. Outras informações podem ser obtidas junto ao Cerimonial pelo e-mail cerimonial@defensoria.ba.gov.br ou pelo telefone (71) 3117-6966

Ressaltando que a sua presença contribuirá em muito para o debate, reiteramos a Vossa Senhoria votos de elevada estima e consideração.
Atenciosamente,

Maria Célia Nery Padilha
Defensora Pública Geral

Iniciada a "Mobilização Nacional Pró Saúde da População Negra" em 2011

 
E-mail: redesaudenegra@gmail.com
Site: www.redesaudedapopulacaonegra.org
Twitter: @redesaudenegra
Facebook: Mobilização Nacional Pró Saúde da População Negra

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

CMM "boicotada" em Conferência Estadual de Mulheres




Após meses de negociações "in loco" , seguindo o regimento para implantação de Conferências Municipais e Estaduais , previsto no II Plano Estadual de Políticas para Mulheres , a III Conferência Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (CMPM) seguiu a revelia aos olhos de todas as mulheres que participaram do evento no Sol Bahia Hotel nos dias 20 e 21/09.
Com expressões de "assombro", nós conselheiras do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher  assistimos as "vaias" direcionadas a nossa presidente e vice presidente no sentindo de repúdio de uma platéia "inexperiente" no local. Vale ressaltar que participamos de todas as mini-conferências e visitas técnicas para avaliação de espaços públicos municipais para a construção promissora de uma Conferência Municipal a altura das Mulheres Negras Militantes dos Direitos da Mulher em Salvador. 
Tendo um "discurso majoritário" diante do CMM , a Superintendência deixou evidente a sua hegemonia nos minutos finais que antecederam a realização da Conferência e seus "atropelos" diante do Regimento Municipal para a realização deste tipo de evento. 
Fomos excluídas como DELEGADAS!
Durante a leitura do regimento na tarde da terça (21/09) tentamos exaustivas vezes dar "destaque" ao parágrafo que EXCLUIA as conselheiras da CMM na participação da Conferência Estadual. Assistimos as retaliações "planejadas" a cada pedido de destaque em direção de nossas conselheiras pna tentativa de impor a democracia e direito de reforma e votação do regimento durante a plenária no  Centro de Convenções do Sol Bahia Hotel. 
Por que não lembrar aqui a "indelicadeza" dos cerimonialistas e a sua Comissão de Organização da Conferência em vizualizar a vice presidente do CMM e mesmo assim não chamá-la a mesa no início dos trabalhos? 
O que dizer da palestrante convidada que de posse do microfone e equipamentos fornecidos , disse a nossas companheiras de comunidade e militância que não tinha dados expressivos e relacionados a Salvador e , em slides, só nos apresentou estatísticas primitivas de 2003/2007/2009 em foco nacional sobre os eixos temáticos da mulher? 
Como não se teve o cuidado de convidar uma mulher profissional militante e embasada das nossas necessidades na Bahia e , em especial, Salvador? 
As respostas devem ser questionadas ao órgão que nós conselheiras fomos subjugadas para a realização e capatação de recursos da III CMPM.
Estávamos lá...
Presenciamos TUDO ISSO e nos colocamos a disposição já que todas estas ações foram fotografadas e filmadas pela nossa secretária geral e jornalista militante Patrícia Bernardes.
Merecemos mais...
Merecemos mudanças JÁ!

Indignação marca III CMPM em Salvador

 

Análise da III Conferência Municipal de Políticas para Mulheres em Salvador


Prezadas companheiras de luta, 

O município de Salvador, a capital de um dos maiores estados do nosso país realizou a III Conferência de Políticas para as mulheres. Porém, nós presenciamos um fato lamentável nesta conferência, que mesmo após todo o processo das pré-conferências construído pelas mulheres em suas comunidades, não respeitou o direito a participação das mulheres da periferia que tiveram o seu direito de exercício da cidadania simplesmente descartado. As representantes que se submeteram a diversos critérios para serem indicadas, viram todo o seu esforço de participar, discutir e encaminhar, ser esquecido. Este fato reflete o modo como o município vem sendo administrado, acéfalo. 

Dignidade, Resistência, Organização e Manifestação são ferramentas que não podemos abrir mão, precisamos garantir que para além das quizilas de uma conferência, as mulheres da periferia, em número cada vez maior possam se libertar dos grilhões da submissão, e participar de modo autônomo dos espaços onde a cidadania deve ser respeitada e exercida.

Para as mulheres da periferia, que foram a conferência de Salvador e ficaram decepcionadas com as panelas, ficou a possibilidade de amadurecimento e a necessidade de algumas reflexões: O que é mesmo igualdade de direitos? Quanto custa o exercício da autonomia? Como vamos nos empoderar se nos espaços de cidadania a prática é castradora?

Levantada estas questões, não podemos apenas lamentar, temos que tomar atitude. Todas somos responsáveis por construir uma participação ativa. Nós mulheres da periferia, precisamos saber quem pode restabelecer o vácuo deixado nas famílias cada vez que uma mulher é assassinada nesta cidade. Qual a responsabilidade da sociedade e do poder público na questão? Quem forma a Sociedade Civil? E o que é o Poder Público e quem deve compor estes espaços?  Precisamos entender e contribuir para o entendimento destas questões para que possamos implantar mudanças que sejam realmente efetivas dentro deste sistema político que não beneficia a quem mais interessa: a sua população. 

Continuaremos na luta pela igualdade e participação, exercendo a nossa cidadania e exigindo o nosso direito. Junte-se a nós companheiras de luta, juntas podemos muito mais. 

Muita força e união a todas!! 

Ligia Margarida Gomes (Rede de Mulheres pelo Controle Social)

Comentários

As Forças que ela se referi foi quem levou até  o fim a condução desta Conferência, e não Eliane Boa Morte ou Célia Sacramento (que conduziam golpes em cima de golpes para deixar as mulheres de fora do processo). O desgoverno desta conferência não estava apenas na falta da Superintendente Ariane Carla, mas no Governo Municipal por completo que não tem como prioridade a criação de Políticas Públicas para as mulheres...

Tâmara Terso.
Diretora de Extensão da UNE.
Conselheira Estudantil da UFBA
Marcha Mundial das Mulheres

Saudações,

Não estive na conferência, mas recentemente vivenciei situações bem parecidas. Esse tipo de situação nos tira pedaço e precisamos estar inteiras  não só para  as batalhas, mas para colher  o fruto delas. Também aponta para o fato de podemos fazer política de uma forma que respeite as lições das antigas mães,  e ao invés de "panelas' conceber CLÃS, onde se partilham valores, lealdade, cuidado e as devidas repostas para quem trai esses valores. Por outro lado fiquei comovida com a sua atitude, por que em geral, esse tipo de conversa se limita aos corredores e por isso nada muda. Obrigada. Me devolveu um pedaço.

Elenira Onija

Colocamos o artigo da Patrícia no portal da Universidade Livre Feminista
Um abraço

Equipe da 
Universidade Livre Feminista
http://www.feminismo.org.br

Célia Sacramento

O CMM que também ajudou na construção da Conferência também ficou de fora. Contudo eu enquanto Mulher marcarei presença no evento da territorial em Camaçari. Sugiro que as Mulheres da rede também compareçam nao podemos ficar totalmente de fora,não teremos voto mais teremos voz. Até a Conferência Estadual

Fabiana Eloi de Amorim

 Belas colocações Lígia. Para mim essa conferência foi de um aprendizado enorme! Ao término da mesma a indignação tomou conta de mim e das minhas companheiras. A descrença de que possamos fazer algo para mudar essa situação quase me fez desistir , mas tenho consciência de que é agora a hora de prosseguirmos, menos "verde",mais unidas e mais fortes! Ninguém pode calar a nossa voz! Até a Conferência Estadual!


quarta-feira, 21 de setembro de 2011

2ª Oficina de Escuta do Subúrbio Ferroviário


Comunicamos a  V.Sa. a realização da 2ª Oficina de Escuta do Subúrbio Ferroviário, no próximo domingo, dia 25/09/2011,das 09 as 14hs, no Centro de Orientação da Família – COF /CDM (Trav. 1º de Novembro, 90 – Plataforma), conforme agenda pactuada com as Lideranças do MASF – Movimento de Articulação do Subúrbio Ferroviário, em 15 de setembro de 2011.

  Essas ações estão vinculadas aos Programas Vida Melhor e Pacto pela Vida, dentro do contexto da Câmara de Prevenção Social, compondo ações de prevenção, desenvolvimento social nas áreas de esporte, educação, qualificação, saúde, e, do ponto de vista da geração de renda, as ações de inclusão socioprodutiva.

                                Solicitamos o empenho de todos na divulgação desse Evento, esperando contar com sua valiosa participação.

                    
Atenciosamente,

Vera Magalhães
Assessora Especial 
Gabinete SEDES
(71) 3115-6692/ (74)9117-7460

Reivindicações marcam a III CMPM em Salvador

Sol Bahia Hotel sedia III CMPM em Salvador

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Mesa redonda abre a III CMPM


Tema: “Perspectivas e Desafios da Mulher e sua Diversidade rumo a Erradicação da
Pobreza e Construção do I Plano Municipal de Políticas para as Mulheres da Cidade
de Salvador”

PROGRAMAÇÃO*

19/09/2011 – Segunda-feira
Local: Espaço Cultural da Barroquinha

16h00 às 19h00 - Credenciamento

19h00 às 20h30 – Mesa redonda – 

"Construção das pré-conferências e Conferência
Municipal de Políticas para as Mulheres"

Eliane Boa Morte
Gerente de Políticas Temáticas da Superintendência de Políticas para as Mulheres de
Salvador

Célia Sacramento
Presidente do Conselho Municipal da Mulher de Salvador

Ludmilla Ramos e Marlene Machado
Chefe de Setor da Superintendência de Políticas para as Mulheres de Salvador

*Programação sujeira á alteração sem prévio aviso

CMM e SPM entregam kits da III CMPM

sábado, 17 de setembro de 2011

III Conferência de Políticas para Mulheres divulga inscrições

 
FICHA DE INSCRIÇÃO 
1. Nome:____________________________________________________
2. Idade:____________________________________________________
3. Escolaridade: 
Sem escolaridade-( )
Alfabetizada-( ) 
Fundamental Incompleto-( ) 
Fundamental Completo-(  ) 
Médio Incompleto-(  ) 
Médio Completo-(  ) 
Superior Incompleto-(   ) 
Superior Completo-(   ) 
Outros-(   )
4. Raça/Cor: 
Preta-(   ) Parda-(   ) Branca-(   ) Indígena-(   ) Amarela-(   )
5. Endereço: 
6. Bairro: ___________________________ 
7. Complemento: 
8. Telefone residencial: (   )___________________ 
9. Celular: (   )_____________________
10. E-mail: 
11. Entidade:  
12. Indicada na pré-conferência?: Sim-(   ) Não-(   ) 
13. Se sim, qual o bairro : 
14. Tipo inscrição: 
Conselheira CMM-(   ) 
Sociedade civil-(  ) 
Governo-(   ) 
Observadora-(   )
Convidada-(   )  
15. Eixo pretendido: (Enumere de 1 à 10 a prioridade de participação. Sujeito a disponibilidade de vagas)
I:  (     ) NÃO À VIOLÊNCIA.
II: (     ) AUTONOMIA ECONÔMICA.
III:(     ) ENFRENTAMENTO AO RACISMO: CONDIÇÕES DA MULHER NEGRA EM SALVADOR.
IV:(     ) POLITICAS PUBLICAS: PARTICIPAÇÃO, CONTROLE SOCIAL, FINANCIAMENTO E ORÇAMENTO  PÚBLICO
V: (     ) SITUAÇÃO GERACIONAL DAS MULHERES DE SALVADOR.
VI:(     ) ENFRENTAMENTO A LESBOFOBIA/HOMOFOBIA.
VII:(     ) SAÚDE INTEGRAL DA MULHER.
VIII:(     ) MULHERES COM DEFICIÊNCIA.
IX: (     ) EDUCAÇÃO INCLUSIVA: PROMOVER EDUCAÇÃO NÃO SEXISTA, NÃO RACISTA, NÃO LESBOFÓBICA
X: (     ) POLITICAS DE CRECHE
            Segue anexa a ficha de inscrição da 3.ª CMPM que deverá ser preenchida por vocês e encaminhada para o presente e-mail (3cmpm.salvador@gmail.com) ou via fax (2108-7306).

Obs: A ficha deverá ser encaminhada até sexta-feira, 16/09/2011, às 12 horas. Vagas limitadas. O encaminhamento da ficha não garante a inscrição.
Ficha Anexo
 
Maiores informações: 2108-7309 / 7310
 
   

 

III Conferência Municipal de Política para as Mulheres em Salvador

 
A III Conferência Municipal de Política para as Mulheres (III CMPM) ocorrerá nos dias 20 e 21 de setembro de 2011, das 08 h às 18 h no Hotel Sol Bahia ( Av. Manuel Antônio Galvão n°1075) em Patamares.O credenciamento será iniciado nesta quarta(19/09) às 16hs, no Espaço Cultural Barroquinha (Igreja de Nossa Senhora da Barroquinha), localizado na Ladeira da Barroquinha (em frente à Praça Castro Alves, Centro).
 

domingo, 11 de setembro de 2011

"Quilombo de Escada" mobiliza Salvador


Cerca de 400 famílias moradoras da Ocupação "Quilombo de Escada" sofreram na semana  passada (09) os horrores de um incêndio no local. Aproximadamente 150 famílias perderam tudo durante o acidente que durou cerca de 2 hs para ser controlado pelo Corpo de Bombeiros e moradores do local.

As chamas chegaram a atingir com facilidade as moradias emprovisadas na ocupação por se tratar de connstruções feitas com maderite , papelão e plástico. As famílias do Quilombo de Escada fazem parte do Movimento de Sem Tetos da Bahia (MSTB) estam sendo acompanhadas pela CODESAL que esteve no local para "mapear" os estragos , da Superintendência de Desenvolvimento Urbano da Bahia, assim como a Defensoria Pública. 

De acordo com Luciana Moura , representante do MSTB as famílias necessitam de doações urgentes destes utensílios abaixo :

- Roupas de cama
- Roupas de bando
- Vestuário para crianças (diversas faixas etárias - de um aninho até 12 anos)
- Vestuário para jovens e adultos - mulheres e homens
- Alimentação
- Colchões
- Panelas
- Pratos
- Copos
- Fogões
- Geladeiras
- Botijões de gás

Enfim, o que necessário for dentro de uma casa! O povo teve tudo queimado!
O endereço da ocupação: Avenida Afrânio Peixoto (Av. Suburbana), S/N (próximo ao antigo almoxarifado do BANEB) - bairro de Escada.

Os contatos podem ser feitos com:
Dona Mira - 71 8865 3017
Pedro Cardoso - 71 8808 6718
Ana Vaneska - 71 8809 7681
João Dantas - 8863 7348

Fonte: Cmm em Salvador

Piraí do Norte realiza Conferência de Mulheres



A cidade de Piraí do Norte realiza no próximo dia 23/09 (sexta) a sua Conferência Municipal de Política para Mulheres conforme exigência do II Plano Estadual de Políticas para Mulheres no Brasil. 

A Cidade de Piraí do Norte, localizada a 320 km da Capital. É uma cidade que cativa pela simplicidade do seu povo hospitaleiro. Foi emancipada em 1989, possui 228,5 km² e uma população de aproximadamente 20.183 habitantes. Sua principal fonte de renda é a cultura do cacau.

 As Conferências Municipais tem como objetivo :
* construir e propor ao Governo do Estado diretrizes e subsídios para melhorias na  aplicação do Plano Estadual de Políticas para as Mulheres do estado da Bahia;
- avaliar experiências e Programas desenvolvidos pela Sociedade Civil e Poder Público Federal, Estadual e Municipal, em parceria ou não, no âmbito do Estado;
- sugerir propostas de ações sobre o temário da  Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, bem como definir a forma de participação da Delegação do Estado da Bahia.

Nos municípios onde não for realizada a Plenária Municipal e/ou Regional recomenda-se a realização de reuniões, seminários ou debates sobre Políticas para Mulheres, com o objetivo de informar e mobilizar a população sobre o tema e momento privilegiado para a indicação das suas representantes.

Eixos  Temáticos 

Eixo I – Autonomia - Rose Rozendo
Eixo II – Educação - Historiadora Diana Costa
Eixo III – Saúde -
Eixo IV – Comunicação e Cultura - Jornalista Patrícia Bernardes
Eixo 5 – Prevenção e Enfrentamento a todas as formas de Violência

 

Fonte: Wikpédia/Cmm em Salvador