segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Célia Sacramento: ser negro no Brasil, ser negra na Bahia



Fonte: Correio da Bahia 
Muitos textos, muitas obras, muitos autores se debruçaram para entender a migração compulsória dos negros africanos no eixo atlântico, muitas pesquisas antropológicas buscaram fazer relações entre os brasileiros e africanos, especificamente os baianos soteropolitanos, negros primeiros, primeiros braços, pernas e levantes revolucionários contra a imposição violenta das relações. Observando nossa cidade na contemporaneidade vemos que as sombras desse passado inóspito e cruel permeiam os elos e vínculos sociais.
Estamos em pleno século XXI na luta de fazer que nossos descendentes, irmãos, tenham consciência das suas potencialidades e da igualdade real frente a qualquer humano, independente do seu fenótipo. País do paradoxo eterno que na pós-modernidade robótica e automatizada vive inconscientemente os duelos políticos de uma colônia medieva onde os espaços de poder são ocupados pela avaliação lambrosiana que mede a fronte, o nariz na busca de Aquiles ou a sensibilidade da pele frente ao sol.
Ser Negro e Negra no Brasil é tarefa árdua, hercúlea, pois até para significar e metaforizar nossa dor preciso lançar mão de um mito grego. Utilizar qualquer palavra vinculada às línguas do continente africano é arriscar o julgamento racista imediato que ao ouvir uma palavra banta faz relação direta com nossa religiosidade e automaticamente os neurônios acendem o alerta que demoniza qualquer vocábulo de nossas raízes. Ser negro no Brasil começa em não ter a própria voz, ter que fazer adaptações camufladas que poluem nossa história e, ao mesmo tempo, a reelabora com as imposições de quem “manda” com o conceito educacional-alienante apresentado como evolução: sincretismo.
Hoje sou parte do poder executivo de uma das cidades mais racistas do Brasil, pouca vergonha tenho disso, quem deve tê-la são os que carregam o mal, não tenho vergonha de ser uma guerreira incansável, conseguir meus objetivos, derrubar os obstáculos impostos dos jogos pré-definidos e alcançar postos antes nunca conquistados. Não sou eu que devo ter vergonha, busco ser referência para os meus filhos e para os meninos e meninas que alcanço pela comunicação.
Meu papel simples na história é fazer com que os Negros e Negras acordem um dia sem falar “patrão” para todos que pareçam nascer para mandar. Não quero que eles pensem em mandar, desejo que suas vidas se tornem projetos próprios e seus sonhos dependam apenas da sua vontade por serem mulheres e homens potentes, lindos e capazes. Quero os meus tendo a consciência plena de que o poder não é latifúndio herança e sim espaço que se conquista. Isto pra mim é consciência negra. O que mais for não passa de discurso falacioso para nos distrair e enganar.
Viva Zumbi que acreditava nos seus e em si, viva Zumbi e que cada canto seja Palmares.
* Célia Sacramento  é vice-prefeita de Salvador

Dia Internacional de Não Violência Contra as Mulheres em Salvador



O Grupo de Trabalho da Rede de Atenção a Mulheres em Situação de Violência em Salvador e RMS realizará um evento público, denominado “Rede na Praça”, no dia 25 de novembro - Dia Internacional de Não Violência Contra as Mulheres.O evento está programado para o período das 15h às 17h30, na Praça doCampo Grande (em frente ao Teatro Castro Alves), com distribuição depanfletos por integrantes das entidades que compõem a rede, peçateatral abordando a violência contra a mulher e explanação sobre ofenômeno.

As entidades deverão encaminhar um e-mail confirmando presença paragtdaredemulherviolenciassa@gmail.com, além de levar no dia do eventobanner e materiais impressos da entidade a partir das 14h30.

Esta atividade faz parte da campanha internacional 16 dias de ativismopelo fim da violência contra mulheres, período que, no Brasil seestende desde o dia 20 de novembro (Dia da Consciência Negra) até odia 10 de dezembro (Dia Internacional dos Direitos Humanos), com oobjetivo de promover o debate e denunciar as várias formas deviolência contra as mulheres no mundo.

O Grupo de Trabalho da Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência em Salvador e Região Metropolitana é composto por entidades governamentais e não governamentais com o objetivo de fortalecer a rede de atenção e enfrentar a violência contra mulheres.

" Discriminação contra as Mulheres Negras " é discutido no CRLV


II Feira da Criança em Paripe


quinta-feira, 15 de agosto de 2013

Quinta Temática faz balanço dos 7 anos da Lei Maria da Penha em Salvador



A Lei Maria da Penha, que completou sete anos no último dia 7, é o assunto escolhido para o projeto Quintas Temáticas, realizado nesta quinta-feira (29/08), das 09 às 11hs,  pela Superintendência de Políticas para as Mulheres (SPM), através do Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) no Auditório do SEFAZ ( Rua da Ajuda) . Sancionada em 2006, a lei conhecida como Maria da Penha aumentou o rigor das punições nas agressões contra a mulher quando ocorridas no âmbito doméstico ou familiar, transformando-se em um março da legislação brasileira. A lei também dispõe sobre a criação dos Juizados de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. O evento é gratuito e será disponibilizado certificado após a palestra . 
Informações : 2108-7315


Loreta Valadares

No mês em que a Lei Maria da Penha, sancionada em 7  de agosto de 2006, completa sete anos de criação, o Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) inaugura um nova sede onde vai assegurar muito mais serviços para as mulheres vítimas de violência. No novo espaço, localizado no bairro dos Barris, o centro, que é vinculado à Superintendência de Políticas para Mulheres de Salvador (SPM), vai oferecer, além do atendimento jurídico e psicossocial, cursos de qualificação profissional, brinquedoteca, acervo para estudos nas áreas de gênero, além de posto de atendimento do Ministério Público para dar celeridade aos processos.

A titular da SPM, Mônica Kalile, visitou na manhã desta terça-feira (6) as obras de reforma da nova sede do CRLV, em fase de finalização. “Vai ser uma grande alegria abrir este novo espaço para as mulheres no mês que comemoramos o aniversário da lei Maria da Penha, que, além aumentar o rigor das punições das agressões contra mulher, preconiza a ampliação da rede de atenção às vítimas da violência”, afirmou a superintendente.  

O trabalho de reforma do imóvel está sendo realizado através de uma parceria entre a SPM e a Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal), envolvendo toda adequação do espaço para garantir o acesso a mulheres idosas e com necessidades especiais.  Com a conclusão da obra ainda este mês, o órgão deixa de funcionar na Rua Aristides Novis e passa a atender na Praça Almirante Coelho Neto, situado em uma região estratégica, em frente à Delegacia Especial do Idoso, a poucos metros da 1ª Vara de Violência contra a Mulher e próximo à Estação da Lapa. 

“Muitas mulheres acolhidas pelo centro acabavam deixando o acompanhamento, afirmando que o motivo era a dificuldade e de ir até a Federação. Por isso quando tivemos que mudar de sede, buscamos uma área mais central que facilitasse o acesso não só às mulheres assistidas como aos funcionários”, explica Mônica Kalile. E mais: a antiga sede tinha cerca de 300 m², enquanto o novo espaço tem 508 m². 

A ampliação do espaço permitiu que o centro pudesse abrigar novos serviços de atenção e proteção à mulher. A atenção à idosa é um deles. “Existe o mito de que mulheres mais velhas não sofrem violência. Isso não é verdade. Elas são agredidas por filhos, netos e vizinhos, inclusive sexualmente”, coloca a superintendente da SPM. 

A brinquedoteca é para prover um espaço onde as crianças filhas das vítimas poderão ser abordadas na busca de informações para entender os danos sofridos pela violência familiar. O CRLV também ganhará um Centro de Documentação e Informação em Gênero para estudantes e acadêmicos.
  
Parceria - Mônica Kalile lembra que um dos principais problemas no enfrentamento à violência contra a mulher é promover sua inserção no mercado de trabalho, pois muitas delas se submetem aos seus algozes porque não tem uma fonte de renda para seu sustento e de seus filhos. Por isso, o novo centro terá uma área dedicada à qualificação profissional, dotado de uma cozinha industrial. Lá, serão oferecidos cursos diversos para o setor de serviços, como cozinheira, assistente de cozinha e atendente de telemarketing, em parceria com a Secretaria Municipal da Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). 

A parceria com a Semps também vai manter no local um posto para atendimento de intermediação de mão de obra para as mulheres atendidas pelo centro. Segundo a superintendente, o trabalho articulado com diferentes secretarias do município tem sido fundamental para viabilizar o funcionamento dos novos serviços. A Secretaria Municipal de Ordem Pública, por exemplo, além de colaborar com prepostos da Guarda Municipal para garantir a segurança, está requalificando toda a praça onde está localizada a nova sede, com colocação de nova iluminação. A Secretaria de Infraestrutura e Defesa Civil, através da Sucop, realizou a poda das árvores

Órgãos de outras esferas também estão colaborando. Um acordo fechado com a Polícia Militar assegura que a praça contará com dois policiais e uma ronda trabalhando de forma permanente no local. Já o MP fará atendimento três vezes por semana no centro, com o objetivo de dar maior agilidade aos processos gerados a partir das denúncias das vítimas.

A expectativa de SPM é que, até 2015, seja viabilizada a criação de mais dos centros de referência para a mulher em Salvador. De acordo com Mônica, eles ficaram localizados nos bairros de Cajazeiras e Periperi.   

 Fonte: CRLV 

terça-feira, 6 de agosto de 2013

Nova sede do Centro de Referência Loreta Valadares em fase de finalização



No mês em que a Lei Maria da Penha, sancionada em 7  de agosto de 2006, completa sete anos de criação, o Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) inaugura um nova sede onde vai assegurar muito mais serviços para as mulheres vítimas de violência. No novo espaço, localizado no bairro dos Barris, o centro, que é vinculado à Superintendência de Políticas para Mulheres de Salvador (SPM), vai oferecer, além do atendimento jurídico e psicossocial, cursos de qualificação profissional, brinquedoteca, acervo para estudos nas áreas de gênero, além de posto de atendimento do Ministério Público para dar celeridade aos processos.

A titular da SPM, Mônica Kalile, visitou na manhã desta terça-feira (6) as obras de reforma da nova sede do CRLV, em fase de finalização. “Vai ser uma grande alegria abrir este novo espaço para as mulheres no mês que comemoramos o aniversário da lei Maria da Penha, que, além aumentar o rigor das punições das agressões contra mulher, preconiza a ampliação da rede de atenção às vítimas da violência”, afirmou a superintendente.  

O trabalho de reforma do imóvel está sendo realizado através de uma parceria entre a SPM e a Companhia de Desenvolvimento Urbano de Salvador (Desal), envolvendo toda adequação do espaço para garantir o acesso a mulheres idosas e com necessidades especiais.  Com a conclusão da obra ainda este mês, o órgão deixa de funcionar na Rua Aristides Novis e passa a atender na Praça Almirante Coelho Neto, situado em uma região estratégica, em frente à Delegacia Especial do Idoso, a poucos metros da 1ª Vara de Violência contra a Mulher e próximo à Estação da Lapa. 

“Muitas mulheres acolhidas pelo centro acabavam deixando o acompanhamento, afirmando que o motivo era a dificuldade e de ir até a Federação. Por isso quando tivemos que mudar de sede, buscamos uma área mais central que facilitasse o acesso não só às mulheres assistidas como aos funcionários”, explica Mônica Kalile. E mais: a antiga sede tinha cerca de 300 m², enquanto o novo espaço tem 508 m². 

A ampliação do espaço permitiu que o centro pudesse abrigar novos serviços de atenção e proteção à mulher. A atenção à idosa é um deles. “Existe o mito de que mulheres mais velhas não sofrem violência. Isso não é verdade. Elas são agredidas por filhos, netos e vizinhos, inclusive sexualmente”, coloca a superintendente da SPM. 

A briquedoteca é para prover um espaço onde as crianças filhas das vítimas poderão ser abordadas na busca de informações para entender os danos sofridos pela violência familiar. O CRLV também ganhará um Centro de Documentação e Informação em Gênero para estudantes e acadêmicos.
  
Parceria - Mônica Kalile lembra que um dos principais problemas no enfrentamento à violência contra a mulher é promover sua inserção no mercado de trabalho, pois muitas delas se submetem aos seus algozes porque não tem uma fonte de renda para seu sustento e de seus filhos. Por isso, o novo centro terá uma área dedicada à qualificação profissional, dotado de uma cozinha industrial. Lá, serão oferecidos cursos diversos para o setor de serviços, como cozinheira, assistente de cozinha e atendente de telemarketing, em parceria com a Secretaria Municipal da Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps). 

A parceria com a Semps também vai manter no local um posto para atendimento de intermediação de mão de obra para as mulheres atendidas pelo centro. Segundo a superintendente, o trabalho articulado com diferentes secretarias do município tem sido fundamental para viabilizar o funcionamento dos novos serviços. A Secretaria Municipal de Ordem Pública, por exemplo, além de colaborar com prepostos da Guarda Municipal para garantir a segurança, está requalificando toda a praça onde está localizada a nova sede, com colocação de nova iluminação. A Secretaria de Infraestrutura e Defesa Civil, através da Sucop, realizou a poda das árvores
  
Órgãos de outras esferas também estão colaborando. Um acordo fechado com a Polícia Militar assegura que a praça contará com dois policiais e uma ronda trabalhando de forma permanente no local. Já o MP fará atendimento três vezes por semana no centro, com o objetivo de dar maior agilidade aos processos gerados a partir das denúncias das vítimas.

A expectativa de SPM é que, até 2015, seja viabilizada a criação de mais dos centros de referência para a mulher em Salvador. De acordo com Mônica, eles ficaram localizados nos bairros de Cajazeiras e Periperi.   

segunda-feira, 29 de julho de 2013

Termo de adesão da "Casa da Mulher Brasileira" é assinado em Salvador


II Feira Mulheres em Ação, Violência Não! em Cajazeiras X




A Prefeitura Municipal de Salvador através da Superintendência de Políticas para as Mulheres (SPM) realizará no próximo dia 31 de julho de 2013 a II Feira Mulheres em Ação, Violência Não!na rótula da feirinha em Cajazeiras X das 10 às 15 horas.

A Feira integra o calendário de eventos da SPM em celebração ao Dia Municipal da Mulher Negra,lei municipal nº 7.440/2008 e Dia da Mulher Afro-Latino-Americana e Caribenha, comemorados no dia 25 de julho, com objetivo de valorizar as mulheres, em especial as mulheres negras, no cenário social, político, doméstico e do trabalho.

Um dos compromissos assumidos pela Superintendência de Políticas para as Mulheres de Salvador é o enfrentamento às desigualdades de gênero e às diversas formas de violência contra a mulher, garantindo a promoção de políticas que proporcionem qualidade de vida e oportunidades iguais para as mulheres.

A II Feira Mulheres em Ação, Violência Não! disponibilizará serviços de orientação referente aos direitos das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar e a Lei Maria da Penha, serviços na área de saúde da mulher e oficinas de beleza que promovam o bem estar e a melhora da autoestima, além de incentivar a busca pela autonomia econômica e a valorização da mulher. Em sua primeira versão, na feira realizada em março de 2012 no bairro da Liberdade, foram atendidas mais de 1.300 mulheres.

O bairro de Cajazeiras foi estrategicamente escolhido por ser um dos bairros mais populosos da cidade, composto em sua maioria por mulheres negras, além de desenvolver trabalhos sociais que buscam resgatar a autoestima da comunidade local a partir de ações afirmativas.

O evento conta com as presenças da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Secretaria Municipal da Reparação (SEMUR), Secretaria Municipal da Educação através do FIEMA, Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV), Defensoria Pública do Estado da Bahia, Ministério Público através do GEDEM, Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (DEAM), Conselho Municipal da Mulher (CMM), Instituto Embelleze dentre outros.

sexta-feira, 28 de junho de 2013

INSS promove Fórum Violência Doméstica e Familiar em Salvador


Prefeitura do Salvador realiza a III Conferência Municipal da Igualdade Racial




A Prefeitura do Salvador, através da Secretaria Municipal da Reparação (Semur) e o Conselho Municipal das Comunidades Negras (CMCN), promove entre os dias 3 e 5 de julho a III Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial - Compir no Centro de Convenções da Bahia.

A III Compir tem como tema "Democracia e Desenvolvimento sem Racismo - Por uma Salvador Afirmativa" e, como subtemas:
I. Estratégias para o desenvolvimento e o enfrentamento ao racismo;
II. Políticas de igualdade racial no município de Salvador: avanços e desafios;
III. Arranjos Institucionais para assegurar a sustentabilidade das políticas de igualdade racial;
IV. Participação política e controle social: igualdade racial nos espaços de decisão; mecanismos de participação da sociedade civil no monitoramento das políticas de igualdade racial.

O evento é preparatório para as conferências Estadual (Conepir), a ser realizada entre os dias 28 e 30 de agosto, e a Nacional (Conapir), que acontece de 5 a 7 de novembro deste ano e se configura um importante instrumento para que a sociedade busque reafirmar e ampliar o compromisso governamental com a sociedade soteropolitana, mediante as políticas de enfrentamento ao racismo e de promoção da igualdade. 

Foram realizadas nos dias 8, 9, 15 e 26 de junho as pré-conferências em diversas localidades de Salvador com o objetivo de promover a reflexão para o combate ao racismo e retirar os delegados para representar os diversos segmentos da sociedade na Compir.



terça-feira, 25 de junho de 2013

SPM articula integração de serviços públicos do “Mulher, Viver sem Violência”, na Bahia



A  Superintendência de Políticas para Mulheres , através da sua gestora Monica Kalile , participou neste mês de junho (18/06) de uma reunião no gabinete da vice-prefeita Célia Sacramento , para discutir os rumos iniciais do Programa “Mulher, Viver sem Violência” . O programa é destinado à adesão dos governos estaduais e prevê a criação de centros integrados de serviços especializados, humanização do atendimento em saúde, cooperação técnica com o sistema de justiça e campanhas educativas de prevenção e enfrentamento à violência de gênero. A iniciativa aumentará centros de atenção às mulheres em áreas de fronteira do Brasil com a Bolívia, Guiana Francesa, Guiana Inglesa,Paraguai, Uruguai e Venezuela, para migrantes e combate ao tráfico de pessoas.

Conduzidos pela secretária de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, encontros envolvem Casa Civil, SPM e TJ do estado

O programa “Mulher, Viver sem Violência” será o foco das reuniões que a secretária nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, Aparecida Gonçalves, terá com representantes da Casa Civil da Bahia, do Tribunal de Justiça da Bahia e da Secretaria de Políticas para as Mulheres do estado. Os encontros acontecem nesta terça-feira (18/06), em Salvador.

O programa foi lançado em março pela presidenta da República, Dilma Rousseff, e pela ministra Eleonora Menicucci, da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República.

Entre outros assuntos, Aparecida Gonçalves fará articulação dos detalhes para a construção da Casa da Mulher Brasileira em Salvador e a humanização dos serviços de saúde no estado, tópicos incluídos no “Mulher, Viver sem Violência”.

O programa é destinado à adesão dos governos estaduais. Prevê: criação de centros integrados de serviços especializados, humanização do atendimento em saúde, cooperação técnica com o sistema de justiça e campanhas educativas de prevenção e enfrentamento à violência de gênero. A iniciativa aumentará centros de atenção às mulheres em áreas de fronteira do Brasil com a Bolívia, Guiana Francesa, Guiana Inglesa, Paraguai, Uruguai e Venezuela, para migrantes e combate ao tráfico de pessoas.

A Casa da Mulher Brasileira centralizará delegacias especializadas de atendimento à mulher (DEAM), juizados e varas, defensorias, promotorias, equipe psicossocial (psicólogas, assistentes sociais, sociólogas e educadoras, para identificar perspectivas de vida da mulher e prestar acompanhamento permanente) e equipe para orientação ao emprego e renda. A estrutura física terá berçário, brinquedoteca e espaço de convivência para as mulheres.

O custo médio de cada Casa é de R$ 4,3 milhões, incluindo construção financiada pelo governo federal, aquisição de equipamentos, mobiliário e transporte. A previsão é atender cerca de 200 pessoas/dia, 6.000 por mês e 72.000 ao ano.



Fonte :Comunicação Social
Secretaria de Políticas para as Mulheres – SPMPresidência da República – PR



Pré-Conferência promove eleição de Delegados da III COMPIR





A Secretaria Municipal da Reparação e o Conselho Municipal das Comunidades Negras convidam as associações, instituições e lideranças comunitárias, movimento negro e demais organizações para participarem do Encontro de Preenchimento das vagas remanescentes nos segmentos que não atingiram o número de delegados e delegadas para a III Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial.
O encontro será no dia 26 de junho, 8h, no Auditório da OAB, Rua Portão da Piedade, nº 16, Centro.

Ps: O número de vagas remanescentes pode ser ampliado após a Pré-Conferência de Ilha de Maré.
SEGMENTO  MULHERES ENTIDADES CARNAVALESCAS MOVIMENTO NEGRO ASSOCIAÇÃO DE MORADORES RELIGIÃO DE MATRIZ AFRICANA MARISQUEIRAS E PESCADORES CIGANOS AMBIENTAL PESSOAS COM DEFICIÊNCIA OUTRAS RELIGIÕES CAPOEIRA SAÚDE INDÍGENA JUVENTUDE LGBT QUILOMBOLA RASTAFARI

Contatos:
  • Tel.: (71) 4009-2600
  • E-mail: compir.salvador@gmail.com
Atenciosamente,

Alexandre Drumond Martins de Oliveira
Membro da Comissão de Mobilização e Articulação

Quinta Temática sobre Mortalidade Materna encerra atividades do Centro de Referência Loreta Valadares que anuncia mudança para os Barris



Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) completará em novembro oito anos de existência através da Superintendência de Política para Mulheres (SPM) e  convida as assistidas, amigos, estudantes, parceiros e colaboradores ao enfrentamento à violência contra a mulher de Salvador para participar da“Quinta Temática – Mortalidade Materna” no dia  (27/06), às 09 h , como parte do encerramento do  ciclo de atividades do CRLV na  Rua Aristides Novis, 44  bairro da Federação.
O evento contará  com a Palestra da  Senhora Ana Paula Freire, Enfermeira  Sanitarista das Secretaria Municipal e Estadual  de Saúde,  o mediador   Marcos Antônio Sampaio, Presidente  do Conselho Municipal de Saúde e a debatedora Vereadora Aladilce  Souza.
Abordando os avanços e desafios sobre a mortalidade materna considerada pelos especialistas  como uma“MORTE EVITAVEL”, vão  ser apontados os caminhos da REDE CEGONHA, o empenho dos órgãos de defesa dos direitos da mulher em humanizar os serviços prestados às mulheres de  Salvador e  também a Lei Municipal que determina  que as mulheres tem o direito de saber onde vão dar a luz a seus filhos.
Este evento também marcará  a mudança de  endereço do referido Centro para a Praça Almirante Coelho Neto, nº01, bairro Barris,  com o objetivo de ampliar o atendimento às mulheres vítimas de violência em um local com melhor mobilidade urbana, que contará com serviços de equipe multidisciplinar (assistentes sociais, psicólogas, advogada), sete salas de atendimento, brinquedoteca para atendimento dos filhos das assistidas, Centro de Documentação da Mulher  com acervo bibliográfico voltado para a temática aberta a visitação pública,  além de uma sala especial para mulheres idosas ou com necessidades especiais.
O  novo Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) retoma as suas atividades de atendimento às mulheres vítimas de violência em Salvador  até o final do  mês de julho.

Serviço:
O quê: Quinta Temática sobre Mortalidade Materna
Quando: (27/06), das 09 h as 11:00 h 
Onde: Centro de Referência a mulher  Loreta Valadares (CRLV ) Rua Aristides Novis, 44  Bairro da Federação.
Contato: 21087300 – 2354268 – centroreferencialv@gmail.com

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Prefeitura de Salvador realiza plenárias para III Compir


A Prefeitura do Salvador, através da Secretaria Municipal da Reparação (Semur) e o Conselho Municipal das Comunidades Negras (CMCN), promove nos dias 7, 9 e 15 de junho as plenárias preparatórias para a III Conferência Municipal de Promoção da Igualdade Racial (Compir). As reuniões, que serão realizadas em oito localidades de Salvador, visam contribuir para a ampliação do debate público em torno do enfrentamento ao racismo, além de levantar contribuições para a Compir, a ser realizada de 3 a 5 de julho.

Podem participar das plenárias representantes dos poderes públicos municipal, estadual e federal, além de associações, entidades e pessoas ligadas à luta pela igualdade racial e a comunidade.  As inscrições são feitas no local.

A III Compir tem como tema "Democracia e Desenvolvimento sem Racismo - Por uma Salvador Afirmativa" e, na ocasião, será apresentado o Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, disponível no site http://www.semur.salvador.ba.gov.br/. O evento é preparatório para as conferências Estadual (Conepir), a ser realizada entre os dias 28 e 30 de agosto, e Nacional (Conapir), que acontece de 5 a 7 de novembro deste ano.

Calendário de plenárias

Dia 8 - 8h
Locais: Escola Municipal Cid Passos - Coutos
           Escola Municipal Baronesa de Sauípe - Ribeira
           Escola Municipal Agnelo de Brito - Boca do Rio
           Escola Municipal Conceição Imbassahy - Beirú/ Tancredo Neves


Dia 9 - 8h/ 14h
Locais: Escola Municipal Pirajá da Silva - Liberdade
           Escola Municipal João Pedro dos Santos - Av. Mário Leal Ferreira (Brotas)
           Escola Municipal Manuel de A. Cruz - Cajazeiras 11 - 14h

Dia 15 - 8h
Local: Escola Municipal de Praia Grande - Ilha de Maré


CRLV discute "Mortalidade Materna" em Salvador


1º Seminário Nacional de Políticas Públicas para as Jovens Mulheres



A Secretaria Nacional de Juventude (SNJ) e a Secretaria Nacional de Políticaspara as Mulheres (SPM) realizam, de 6 a 8 de junho, em Brasília, o 1º Seminário Nacional de Políticas Públicas para as Jovens Mulheres.
O evento tem como objetivo ampliar o debate daspolíticas públicas para as jovens com a sociedade e o governo federal. O Seminário, que tem como tema central “Educação e Trabalho para a autonomia das jovens mulheres”, acontece na Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio – CNTC, na 902 sul, emBrasília/DF.
Estão confirmadas as presenças de Gilberto de Carvalho, ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República (SG), Eleonora Menicucci,, ministra da Secretaria dePolíticas para Mulheres (SPM), e Severine Macedo, secretária Nacional de Juventude (SNJ).
Participam do encontro, representantes de diferentes movimentos sociais ligados à pauta de juventude e gênero, gestoras municipais e estaduais, pesquisadores e autoridades convidadas a debaterem os temas. 
Com o evento, pretende-se obter um documento consolidado com as principais propostas relativas às especificidades das jovens mulheres para serem incorporadas à agenda política das ações voltadas a juventude e mulheres em geral tendo como referência o Plano Nacional de Política para Mulheres e o Plano Plurianual 2012-2015.

Serviço:

1º Seminário Nacional de Políticas Públicas para as Jovens Mulheres
  • Data: de 6 a 8 de junho de 2013.
  • Local: Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio – CNTC, 902 sul, Brasília/ DF.
  • Horário: de 8 às 18 horas no dia 6/6 e das 9 às 18 horas no dia 7/6 e das 9h30 às 15 horas no dia 8/6.

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Aberta a seleção de entidades para o conselho da mulher em Salvador




O Conselho da Mulher - CMM do Município de Salvador , comunica a abertura do processo de seleção das entidades que indicação as mulheres para preencherem as vagas para o serviço voluntário nesta entidade na condição de conselheira , durante o biênio 2013/2014 , conforme estabelece o artigo 1º da Lei 5.016 publicado no Diário Oficial do Município em 06 de julho de 1986 alterando o artigo 3º da Lei  3.542 de 18 de outubro de 1985 . A administração da entidade é composta de 23 conselheiras e 06 conselheiras suplentes . 

As entidades interessadas tem até o dia 19 de maio de 2013 para encaminhar suas representantes dentro dos critérios estabelecidos no artigo 3º,§§ 1º e 2º do Regime Interno do CMM , assim como devem enviar currículo de suas representantes e carta de apresentação da mesma. 


Segue o estabelecido no artigo 1º da Lei 5.016 


I - Uma representante das seguintes áreas do Poder Executivo Municipal 

a) Cultura 
b) Ação Social
c) Educação
d) Saúde 
e) Comunicação 
f) Procuradoria Geral 

II - Uma representante da Câmara Municipal de Salvador ;
III - Uma representante dos Advogados , indicada pela OAB ;
IV - Uma representante do Movimento de Bairros , indicada pela Federação das Associações de Bairros de Salvador ;
V- Uma representante das Empregadas Domésticas , indicada pelo Sindicato da Categoria ;
VI - Duas representantes do Movimento Autônomo de Mulheres , indicadas pelas Entidades legalmente constituídas como tais;
VII- Três representantes sindicais , indicadas entre Sindicatos que tem Departamentos de Gênero 
IX - Cinco Mulheres de Reconhecida atuação em política , científica e cultural , residentes no Município e destacada atuação em prol dos direitos das Mulheres. 

Este comunicado tem validade a partir da data de sua publicação .

Mias informação para entrega de documentos e outros :

(71) 3186-1571 
E-mail: cmm@salvador.ba.gov.br 
Endereço: Av. Sete de Setembro , Edf. Oxumarê , Sala 201. Centro 

Célia de Jesus Oliveira Sacramento 
Presidente CMM (Biênio 2011/2012) 



quarta-feira, 10 de abril de 2013

Núcleo da Mulher da PMBA toma posse em Salvador


Rede de Atenção a Mulher discute gestação por estupro em Salvador


Centro Loreta Valadares recebe visita do Banco Mundial



Nesta terça-feira (9), o Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV), situado na Federação, recebeu a visita de pesquisadores do Banco Mundial (Bird) que estão na Bahia para conhecer como funcionam os equipamentos que integram a rede de combate à violência contra a mulher. A expectativa é que a ação resulte na captação de recursos para serem investidos na ampliação do serviço de acolhimento e acompanhamento das mulheres vítimas de agressões prestado pelo centro, unidade vinculada à Superintendência Municipal de Políticas para as Mulheres (SPM).

Além de Salvador, a equipe do Bird vai visitar os municípios de Camaçari e Feira de Santana, onde se localizam outros dois centros de referência do estado. No encontro com os dirigentes, funcionários e parte do público assistido, o Bird busca informações sobre o funcionamento das unidades e os resultados que têm alcançado no enfrentamento à violência contra a mulher. Por enquanto, o Banco Mundial não informa quais serão os desdobramentos desta pesquisa.

Para a gerente do CRLV, Celina Almeida, a possibilidade de a visita ter como consequência a vinda de recursos gera uma expectativa positiva para os que trabalham ou são assistidos na unidade. Um dos grandes sonhos é a aquisição de uma sede própria. Outro ponto importante seria a ampliação da equipe para poder aumentar o número de atendimentos.

Atendimento
Do início do ano até agora, o CRLV já acolheu e atendeu mais de 400 mulheres. A maior procura é por atendimento jurídico, seguido do serviço social que dá apoio às famílias das vítimas.  O órgão presta ainda assessoria psicológica, pedagógica e teleorientação (via telefone).

No passado vítima de agressão por parte de antigo namorado, a promotora cultural Janete Santana Silva procurou o CRLV e hoje frequenta as reuniões no local para contar sua experiência e ajudar outras mulheres. Na sua opinião, muitas continuam sofrendo porque não têm como se manter. "É difícil, mas a gente tem que ser forte e lutar, senão vai passar a vida apanhando", comenta.

O CRLV está em processo de mudança de endereço, pois será transferido da Federação para o bairro dos Barris. Mais informações através dos telefones (71) 3235-4268 e 3117-6769.

Fonte/Foto: AGECOM  

Violência contra a mulher idosa é tema em Salvador


sábado, 6 de abril de 2013

GEDEM discute "Fio das Masculinidades" no CEAF


III Seminário Enlaçando as Sexualidades em Salvador



Universidade do Estado da Bahia (UNEB - CABULA)
 Inscrições: http://www.uneb.br/enlacandosexualidades3/paginainicial/

Fundação Mario Leal apresenta novo projeto do CRLV

 
 
Monica Kalile , superintendente da SPM em Salvador ,recebeu na tarde desta quinta (04/04) , na sede da Fundação Mário Leal (FML), o  projeto preliminar de estruturação do Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) que , em  2013, está de mudança para o bairro dos Barris. A visita contou com a presença do presidente da FML ,Drº Luís Cesar Baqueiro e dos arquitetos responsáveis pela obra já em processo de apresentação do orçamento final.
 
Foto: SPM Municipal

CMCN entrega Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial

 
 
O Conselho Municipal das Comunidades Negras (CMCN) realiza nesta segunda (08/04),às 9hs , no Auditório da SEFAZ (Rua das Vassouras) , a entrega do Plano Municipal de Políticas de Promoção da Igualdade Racial - PMPPIR a Secretaria Municipal da Reparação Ivete Alves do Sacramento.

SPM, SJCDH e a DEAM juntos contra a violência a mulher

 
 
A Superintendente de Políticas para as Mulheres , Mônica Kalile, esteve na manhã desta quinta (04/03) , na sede da Delegacia da Mulher (DEAM) de Brotas para conhecer de perto o trabalho da nova delegada Drª Ana Virgínia Paim e disponibilizar a equipe do Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV) para as atividades desenvolvidas com a equipe multidisciplinar do órgão estadual.
A visita contou também com a presença da gerente do CRLV , a administradora Celina Almeida , além da técnica  Ludmilla Ramos e dos assessores jurídicos , Drº Marcos e Drº Adriano Figueiredo Gomes da Secretaria de Justiça Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) .

Foto: SPM Municipal

Secretario discute projetos de sustentabilidade para mulheres em Salvador

 
 
O secretário Ivanilson Gomes , da gestão da Cidade Sustentável da Prefeitura Municipal de Salvador, esteve na sede da Superintendência de Políticas para as Mulheres (SPM) para conhecer os projetos de sustentabilidade a serem oferecidos as mulheres das comunidades periféricas da capital baiana. Diante das demandas , os gestores Monica Kalile e Ivanilson Gomes estreitaram laços para o combate efetivo da exclusão destas mulheres no mercado de trabalho . Cooperativas e cursos de capacitação também estiveram incluídas no debate.
 
Foto: SPM Municipal

SPM e SJCDH discutem enfrentamento a violência e acolhimento à mulher em Salvador

 
 
Uma reunião nesta terça (02/04), às 16hs, na Secretaria de Justiça Cidadania e Direitos Humanos (SJCDH) , reuniu a superintendente de Política para Mulheres , Monica Kalile e o superintendente de Direitos Humanos (SUDH) Ailton Ferreira para discutir os rumos do enfrentamento e o acolhimento das mulheres idosas em situação de violência doméstica em Salvador. Na ocasião, o caso acontecido com Dona Doralice, 61 anos, violentada por três homens no bairro de Mussurunga no último sábado (23/03), fortaleceu os laços entre o município e o estado nos encaminhamentos para o acolhimento efetivo desta vítima desde o início das investigações.

 Partindo da solicitação direta do secretário Almiro Sena, a coordenadora do Núcleo do Idoso, Drª Liliana Aboud, o assessor jurídico do Núcleo de Proteção a Vítimas, Drº Adriano Gomes Figueiredo e o superintendente Ailton Ferreira acompanharão a investigação do caso e se comprometeram a avaliar as medidas cabíveis aos acusados junto a delegada que acompanha o caso , Drª Ana Virginia Paim, nesta quinta (04/04) ,às 09hs, na Delegacia da Mulher ( DEAM) de Brotas. 

  Foto: ASCOM/SJCDH



SPM Municipal apresenta a peça " Quem é ela ? " no Teatro Boa Vista

 
A Prefeitura Municipal de Salvador, através da Superintendência de Políticas para as Mulheres - SPM, tem a honra de convidar V.Sª. para o espetáculo teatral "Quem é ela?", fruto do Projeto "Século XXI - Quem somos nós, o que queremos e podemos" através do Convênio com a Secretaria de Políticas para as Mulheres do Governo do Estado.
 GRATUITO
Serviço: "Quem é ela?"
Local: Cine Teatro Solar Boa Vista
Data: 06/04/2013 Horário: 18h

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

SPM e Prefeitura discutem violência a mulher em Salvador

 
 
 
O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e as vereadoras Tia Eron (PRB), Fabíola Mansur (PSB), Aladilce Souza (PCdoB), a superintendente de Políticas para Mulheres (SPM), Mônica Kalile, além de representantes da Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres, da Defensoria Pública, entre outras entidades, se reuniram nesta quinta-feira (21) no gabinete do chefe do Executivo. As representantes pediram ao prefeito atenção especial para algumas questões sobre os diretos das mulheres, a exemplo do fortalecimento do Centro de Referência Loreta Valadares (CRLV), que poderia sofrer um esvaziamento com o decreto que determina que os servidores retornem aos seus postos de origem. Na ocasião, o gestor municipal informou que pediu ao secretário de Gestão, Alexandre Pauperio, que determinasse a permanência dos funcionários do centro, para que fosse garantido o funcionamento. A unidade oferece serviço público de prevenção e atenção às mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero. Neto solicitou à superintendente Mônica Kalile que elencasse as prioridades que possam ser atendidas pela administração. “Nós temos hoje um orçamento que é uma peça de ficção. Um orçamento que não é nosso, que foi pensado pela gestão anterior. Já solicitei à superintendente que elegesse as prioridades e eu tenho o compromisso, diante desse cenário, de honrá-las”, disse o prefeito.

Ascom Prefeitura